ABECS Regional Bahia será fundada dia 09 de dez. de 2017 em Salvador

ABECS Regional Bahia será fundada dia 09 de dez. de 2017 em Salvador

ABECS Regional Bahia será fundada dia 09 de dezembro em Salvador

No dia 21 de outubro de 2017, sábado, no Centro de Salvador, no Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente do Estado da Bahia (Sindae-Bahia), o prof.º Bruno Durães (da UFRB e membro da 

Direção Nacional da ABECS) esteve participando do Seminário “O Papel do Sociólogo Hoje”, promovido pela ASEB (Associação dos Sociólogos do Estado da Bahia) e pelo SINSEB (Sindicato de Sociólogos do Estado da Bahia). Nesse evento, o professor fez a proposta da criação da Unidade Regional da ABECS, que foi recebida com entusiasmo pelos presentes e, posteriormente, acatada por unanimidade pela plenária.

No seminário, após uma série de reflexões sobre a situação atual da profissão no Estado da Bahia e da realização de uma plenária de encaminhamentos, s

ob a coordenação do Sociólogo Edson Valadares, ficou acertado que, no dia 09 de dezembro de 2017, na Faculdade de Educa

ção da UFBA, será realizado um novo encontro para tratar de 03 pautas centrais: 1- Fundar a ABECS Regional Bahia; 2- Eleger a nova Diretoria da ASEB; e 3 – Eleger a nova Diretoria do Sinseb. Participaram desse seminário sociólogos, cientistas sociais, professores e estudantes de ciências sociais da Uneb, UFBA e da UFRB, além de professores da Educação Básica do Estado da Bahia. O prof.º Bruno Durães falou da importância do evento, realizado da seguinte forma: “Foi uma atividade excelente, de alto nível político e intelectual, que demonstra o protagonismo histórico de nossas entidades estaduais, da ASEB e do SINSEB, e mostra que a Sociologia na Bahia está viva na luta em defesa da Profissão de Sociólogo, do campo das Ciências Sociais e preocupada com o cenário político conturbado em que o Brasil está passando. Ficou evidente que a Sociologia na Bahia não está omissa, ao contrário, tem muito a dizer. Por certo, o encontro realizado é um marco no ressurgimento da organização social de nossa área e evidencia que nem toda Sociologia está presa no casulo do seu mundo individual ou da academia. Também foi possível verificar que existem profissionais preocupados com as ciências sociais. Isso em si é uma vitória, sobretudo, em uma categoria que é tão pouco unida. A Bahia pode dizer: Aqui tem gente que resiste e luta nas ciências sociais. Essa postura é motivadora diante de um país com tantos absurdos, contradições e retrocessos, com um governo ilegítimo que retira direitos e promove um desmonte de conquistas sociais históricas – como é o caso do trabalho -, mas que não toca nas grandes fortunas, não taxa os dividendos de empresários, tampouco ataca os super salários do judiciário. Ainda resta esperança na Sociologia”.

 

Um dos organizadores do Seminário e membro da Aseb, o Sociólogo Edson Valadares, sintetizou assim o momento: “Aqui está a prova viva de que juntos faremos grandes coisas, teremos conquistas e poderemos colocar nossas entidades para atuar no cenário do Estado da Bahia e do Brasil”. A atual presidente da ASEB, professora e socióloga Carmem Cunha, afirmou: “Tivemos uma vitória hoje na Bahia e foi um momento excelente, uma oportunidade de encontrar colegas e amigos e de saber que novas pessoas poderão continuar o belo trabalho da ASEB e do Sinseb, sobretudo agora em que estamos completando 50 anos de criação da ASEB em 2018”. A professora e socióloga Marize Carvalho (UFBA) disse: “Foi um encontro muito produtivo, fizemos um bom debate político e foi ótimo rever colegas e grandes amigos das ciências sociais”. O professor Altino Bonfim (UFBA) também ressaltou a importância no evento: “Muito relevante, sobretudo para fortalecermos os currículos dos cursos de ciências sociais, será importante se as entidades pudessem colaborar nesse sentido”. A cientista social, egressa da UFRB, Rosene Moura, declarou: “Fiquei muito feliz com essa atividade, mostra que não estamos sozinhos. Eu acabei de me formar no interior da Bahia na Federal do Recôncavo e agora me sinto mais aliviada em saber que podemos nos organizar e lutar por nossos direitos”.

 

Também esteve presente no evento o lutador histórico pela profissionalização e sindicalização de sociólogos no Brasil e na Bahia, o professor e sociólogo Joviano Neto, da UFBA, representante do SINSEB, que fez uma fala sobre o legado da luta sindical dos sociólogos na Bahia. Além disso, o professor falou do momento atual da sociologia e das possibilidades concretas que temos de nos fortalecer como categoria e conquistar reconhecimento social e valorização da profissão. Destacou também que a origem da organização sindical dos sociólogos na Bahia remonta o período final da ditadura e que isso é um marco histórico de resistência.

 

Por fim, a professora da Educação Básica do Estado da Bahia (lotada em Maragogipe), Jeovane Ribeiro Fernandes, disse: “Estamos fazendo história aqui nesse encontro e mantendo a história viva. São décadas de luta e podemos avançar na organização. Ficou evidente a importância de nossa categoria ficar de pé e nas trincheiras das lutas sociais”.

 

O seminário foi, dessa forma, um grande acontecimento para a organização da Sociologia e das Ciências Sociais na Bahia. Ficou também definido que a ASEB e o SINSEB vão assinar um ofício conjunto com a ABECS para ser encaminhado para o Governo do Estado da Bahia, pedindo que o concurso para professores da educação básica, que está prestes a ser lançado ainda em outubro, seja colocado o perfil adequado para as vagas de professores de sociologia, a saber, Licenciatura em Ciências Sociais. Ademais, foi também aprovado, por unanimidade, uma carta pública denominada Carta de Salvador, em que as entidades tomam posição diante da sociologia e do cenário político nacional.

 

 

Registros do momento:

 

comment No comments yet

You can be first to leave a comment

mode_editLeave a response

Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person. Required fields marked as *

menu
menu