Juventude e educação: problematizando a complexidade da escola no tempo presente

Juliane Bertuzzi

Resumo


O presente trabalho discute o conceito de juventude e de que modo o mesmo contribui para pensarmos o processo educacional atual nas escolas públicas. Em termos metodológicos, buscamos o aporte da teoria sociológica para a problematização da instituição escolar do tempo presente. Neste sentido, o aporte teórico de autores como Durkheim, Mannheim, Freire e outros foi utilizado com o objetivo de identificar a relação entre juventude e escola na contemporaneidade. Inicialmente, destacamos que a juventude não possui um termo ou um conceito sociológico único que a explique ou determine. Ela, assim como suas identidades que são mutáveis, transforma-se através do tempo e do espaço. Portanto, a educação em um processo fixo, em que não acompanha as mudanças rápidas do mundo, acaba por não contemplar as expectativas destes novos estudantes. A realização desse relato de experiência possibilitou identificar o processo de socialização e a representatividade dos círculos sociais na vida dos jovens estudantes, sobretudo no que concerne aos vínculos estabelecidos no ambiente da escola. Em termos gerais, chegamos à conclusão de que o processo educacional que não usa o novo como ferramenta de aprendizado não é capaz de conquistar um aluno afoito pela novidade em um mundo em transformação. 

This paper discusses the concept of youth and how it contributes to the current educational process in public schools. In methodological terms, we seek the contribution of sociological theory to the problematization of the school institution of the present time.
In this sense, the theoretical contribution of authors such as Durkheim, Mannheim, Freire and others was used in order to identify the relation between youth and school in contemporary times. Initially, we emphasize that youth does not have a single sociological term or concept to explain or determine it. It, like its identities that are changeable, transforms itself through time and space. Therefore, education in a fixed process, in which it does not follow the rapid changes of the world, ends up not meeting the expectations of these new students. The realization of this experience report made it possible to identify the process of socialization and the representativeness of social circles in the lives of young students, especially regarding the ties established in the school environment. In general terms, we come to the conclusion that the educational process that does not use "the new" as a learning tool is not capable of winning over a pupil who is keen on novelty in a changing world.


Palavras-chave


Juventude; educação; socialização; escola pública

Texto completo:

PDF

Referências


BITTAR, Marisa; FERREIRA, Amarildo Jr. A educação na perspectiva marxista: uma abordagem baseada em Marx e Gramsci. Revista Comunicação Saúde Comunicação. v.12, n.26, p.635-46, jul./set. 2008.

DURKHEIM. E. Educação e sociologia. São Paulo: Melhoramentos, 1978. p. 41.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários a prática educativa. SP: Paz e Terra, 1996.

KLEIN, Ligia Regina. História: uma concepção de homem, uma concepção de educação. In cad. Pedag. E cult. Niteroi; 2 (43): 333-343. Mai/dez 1993.

LUCENA, Carlos. O Pensamento Educacional de Émile Durkheim. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, n.40, 2010. p. 295-305.

MANNHEIM, KARL. O problema da juventude na Sociedade moderna. In. Britto, S. De Sociologia da Juventude, I RJ: Zahar, 1968. p. 69-94.

MEUCCI, Simone. Sociologia na educação básica no Brasil: um balanço da experiência remota e recente. Ciências Sociais Unisinos, São Leopoldo, Vol. 51, N. 3, p. 251-260, setembro/dezembro 2015.

SELL, Carlos Eduardo. Max Weber e a sociologia da educação. Contrapontos " ano 2 " n. 5, Itajaí, maio/ago. 2002, p. 237 " 250.

SILVA, J. A. M.; AMORIM, W. L. Estudo de Caso: O pensamento sociológico de Max Weber e a Educação. Revista Interdisciplinar Científica Aplicada, Blumenau, v.6, n.1, p.100-110, Tri I. 2012.

SPOSITO, Marília Pontes. PERALVA, Angelina Teixeira. Quando o sociólogo quer ser professor: Entrevista com François Dubet. Revista Brasileira de Educação, Nº 5. 1997. p. 232-231.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Associação Brasileira de Ensino de Ciências Sociais - ABECS

Periodicidade: semestral

ISSN 2594-3707


INDEXAÇÃO

Google Acadêmico

ANPOCS



Idioma: Português

Editor responsável: Cristiano das Neves Bodart

Autor corporativo: Associação Brasileira de Ensino de Ciências Sociais (ABECS)

Endereço: Cpo São Cristóvão, 177, UE São Cristóvão CPII, Sala do Departamento de Sociologia, São Cristóvão, Rio de Janeiro, RJ, CEP 20921-440, Brasil
CNPJ: 19.340.922/0001-76

Site da ABECS: www.abecs.com.br
Facebook da ABECS: https://www.facebook.com/abecsnacional/