Diretrizes Políticas Dlobais de Educação e a Sociologia na escola secundária nos países da CPLP: entre recontextualizações, homogeneizações e hibridismos

Joana Elisa Rower, Bruno Gomes, Celeste Silvia Vuap Mmende

Resumo


Este artigo tem como temática as políticas globais de educação e o ensino de Sociologia na escola secundária dos países que pertencem à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Objetiva analisar a disciplina de Sociologia na estruturação curricular e na relação com as políticas internacionais de educação, considerando seus aspectos homogeneizadores, recontextualizadores e híbridos. A escolha pela CPLP deve-se à aproximação do Brasil no domínio da educação superior para a formação de professores de Sociologia. São feitas análises relacionais da Sociologia na escola, a partir das reformas dos sistemas de ensino da década de 1990. A pesquisa se caracteriza como exploratória, descritiva e explicativa, bibliográfica e documental, tendo como objeto os Documentos Internacionais de Educação, Leis de Bases dos Sistemas de Educação Nacional e Planos e Projetos Curriculares Nacionais. Conceitos como hibridação curricular (DUSSEL, 2010) e recontextualização e ambivalência (LOPES, 2005) somam-se à análise relacional de Apple (2001, 2006). Identifica-se uma homogeneização nas estruturas curriculares do ensino secundário na CPLP, constituída pelaformação geral e por formações específicas em áreas do conhecimento, com ausência da Sociologia no tronco comum e variabilidade da sua presença nas áreas de Ciências Sociais e Humanidades. Considera-se a necessidade do desenvolvimento de pesquisas relacionais da Sociologia como disciplina escolar, observando diversos atores na construção das políticas educacionais curriculares. A Sociologia, na dinamicidade das estruturas curriculares, constitui-se como objeto singular para análise e compreensão da relação saber-poder na construção de projetos de formação humana e das políticas de educação como políticas culturais.


Palavras-chave


Ensino de Sociologia. Escola Secundária. Políticas Curriculares. CPLP

Texto completo:

PDF

Referências


A SOCIOLOGIA É UM ESPORTE DE COMBATE. Direção e Produção de Pierre Carles. França: Pierre Carles, 2001. Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2018.

ANGOLA. Assembleia Nacional. Lei de Bases do Sistema de Educação. Luanda: Autor, 2001.

ANTUNES, Ricardo. O caracol e sua concha: ensaios sobre a nova morfologia do trabalho, São Paulo: Boitempo, 2005.

APPLE, Michael W. Política Cultural e Educação. São Paulo: Cortez, 2001.

______. Ideologia e currículo. Porto Alegre: Artmed, 2006.

BODART, Cristiano das N.; CIGALES, Marcelo P. Ensino de Sociologia no Brasil (1993-2015): um estado da arte na pós-graduação. Revista de Ciências Sociais, v. 48, n. 2, pp. 256-281, 2017. Disponível em: . Acesso em: 20 nov. 2017.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília: Autor, 1996.

______. Ministério da Educação. Orientações Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Brasília: Autor, 2006.

______. Ministério da Educação. Lei nº 11.684, de 2 de junho de 2008. Altera o art. 36 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir a Filosofia e a Sociologia como disciplinas obrigatórias nos currículos do ensino médio. Presidência da República Casa Civil. Brasília, 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11684.htm?TSPD_101_R0=d763483cc76bbf5aed05daeb872766aeki100000000000000006e387259ffff00000000000000000000000000005b298d5f00acee9c20 Acesso em: 20 jun.2018.

______. Ministério da Educação. Lei nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis nos 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e o Decreto-Lei nº 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei nº 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Presidência da República Casa Civil. Brasília, 2017. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13415.htm Acesso em: 20 jun. 2018.

______. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular – Ensino Médio. Brasília: Autor, 2018.

CÁ, Lourenço Ocuni; CÁ, Cristina Mandu Ocuni. Políticas públicas em educação: um apanhado histórico. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 17, n. 1, pp. 88-106, jan./abr. 2015. ISSN 1676-2592. Disponível em: . Acesso em: 29 abr. 2015.

CABO VERDE. Ministério da Educação. Lei de Bases do Sistema Educativo. Praia: Autor, 2010.

CARVALHO FILHO, Juarez Lopes de. O ensino de sociologia como problema epistemológico e sociológico. Educação e Realidade. v. 39, n. 1. pp. 59-80. jan./mar. 2014. Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2018.

CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. A “era das diretrizes”: a disputa pelo projeto de educação dos mais pobres. Revista Brasileira de Educação, v. 17, n. 49, pp. 11-37, 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 mai. 2016.

CRUZ, Rosana Evangelista da. Banco Mundial e política educacional: cooperação ou expansão dos interesses do capital internacional? Educar em Revista, n. 22, 2003. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2018.

DECESARE, Michael. 95 Anos de Ensino de Sociologia no Ensino Médio. Revista Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 39, n. 1, jan./mar. 2014. Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2018.

DELGADO, Paulo S. G.; MELO, Marilândes M. R. Reforma Educacional em Cabo Verde e a Internacionalização das Políticas Educacionais. Mediações, v. 21 n. 2, pp. 26-48, 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2018.

DELORS, Jaques (org). Um tesouro a descobrir: relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. Brasil: UNESCO, 1996.

Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2018

DUSSEL, Inês. O currículo híbrido: domesticação ou pluralização das diferenças? In: LOPES, Alice C.; MACEDO, Elizabeth (orgs.). Currículo: debates contemporâneos. São Paulo: Cortez, 2010. pp. 55-77.

ESCOBAR, Arturo. O lugar da natureza e a natureza do lugar: globalização ou pós-desenvolvimento? In: LANDER, Edgardo (Org.) A colonialidade do saber. Eurocentrismo e ciências sociais. Buenos Aires: CLACSO, 2005. p.69-86. Disponível em: . Aceso em: 10 ago. 2019.

GENTILI, Pablo. (Org.). Escola S.A.: quem ganha e quem perde no mercado educacional do neoliberalismo. Brasília, DF: CNTE, 1996. pp. 9-49.

______. Neoliberalismo e educação: manual do usuário. In: SILVA, T. T. da; GOODSON, Ivor F. Currículo, teoria e história. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

GOULART, Débora Cristina. A sociologia da BNCC: nem estudo, nem práticas. In: CÁSSIO, Fernando. CATELLI JR. (orgs.), Roberto. Educação é a Base? 23 educadores discutem a BNCC. São Paulo: Ação Educativa, 2019. pp. 205-220.

GUINÉ-BISSAU. Ministério da Educação Nacional. Lei de Bases do Sistema Educativo. Bissau: Autor, 2011.

HANDFAS, Anita. As pesquisas sobre o Ensino de Sociologia na Educação Básica. In: SILVA, Ileizi Fiorelli; GONÇALVES, Danyelle (Orgs.). A Sociologia na Educação Básica. São Paulo: AnnaBlume, 2017. v. 1, pp. 367-386.

______. O estado da arte no ensino de Sociologia na Educação Básica: um estudo preliminar da produção acadêmica. Inter-Legere, v. 9, pp. 286-400, 2011.

HANDFAS, Anita; MAÇAIRA, Julia P. O estado da arte da produção científica sobre o ensino de sociologia na educação básica. In: HANDFAS, Anita; MAÇAIRA, Julia P.;

FRAGA, Alexandre Barbosa. (Orgs.). Conhecimento escolar e ensino de Sociologia: instituições, práticas e percepções. Rio de Janeiro: 7Letras, 2015. pp. 20-43.

KRAWCZYK, Nora. Reflexão sobre alguns desafios do ensino médio no Brasil hoje. Cadernos de Pesquisa. Cadernos de Pesquisa, v. 41, n.144, pp. 752-769, 2011. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-15742011000300006&lng=en&nrm=iso&tlng=pt>. Acesso em: 14 jun. 2018.

LAHIRE, Bernard. Viver e interpretar o mundo social: para que serve o ensino da Sociologia? Revista de Ciências Sociais, Fortaleza, v. 45, n. 1, pp. 45-61, 2014. Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2018.

LEMBE, Horácio. A Reforma Educativa e seus impactos na disciplina de Sociologia a nível do ensino secundário em Luanda. Horácio Lembe em análise... (Blog). 2010. Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2018.

LOPES, Alice Casimiro. Política de currículo: Recontextualização e Hibridismo. Currículo sem Fronteira, v. 5, n. 2, pp. 50-64, jul/dez 2005. Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2018.

MAÇAIRA, Júlia P. O Ensino de Sociologia e Ciências Sociais no Brasil e na França: recontextualização pedagógica nos livros didáticos. 2017. 342f. Tese (Doutorado em Sociologia). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Filosofia e Ciências Sociais, Rio de Janeiro.

MOÇAMBIQUE. Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano. Plano Curricular do Ensino Básico. Maputo: Autor, 2003.

MOMA, Guilherme M. O impacto da sociologia no sistema de ensino: teoria e prática. In: Diversos Autores. Sociologia, Ensino e Prática. Luanda, Angola: ISCDE, COESO, 2016. pp. 34-50.

MORGADO, José Carlos; SANTOS, Júlio; SILVA, Rui da. Currículo, memória e fragilidades: contributos para (re)pensar a educação na Guiné-Bissau. Configurações, v. 17, pp. 57-77, 2016. Disponível em: . Acesso em: 10 mar. 2018.

OLIVEIRA, Amurabi. O Ensino de Sociologia na Educação Básica Brasileira: uma análise da produção do Gt Ensino de Sociologia na SBS. Teoria e Cultura, v. 11, n. 1, p. 70, 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2018.

PACHECO, José A.; SOUSA, Joana. O (pós)crítico na desconstrução curricular. Revista Tempos e Espaços em Educação, v. 9, n. 18, pp. 65-74, 2016. Disponível em: . Acesso em: 14 jun. 2018.

PORTUGAL. Assembléia da República. Lei n.º 65/2015. Lisboa: Autor, 2015.

______. Ministério da Educação e Ciência. Lei de Bases do Sistema Educativo - Decreto-Lei nº 46/1986. Lisboa: Autor, 1986.

______. Ministério da Educação e Ciência. Decreto-Lei n.º 139/2012. Lisboa: Autor, 2012.

RÖWER, Joana Elisa. Estado da arte: dez anos de Grupos de Trabalho (GTs) sobre ensino de Sociologia no Congresso Brasileiro de Sociologia (2005-2015). Civitas - Revista de Ciências Sociais, v. 16, n. 3, p. e126-e147, 2016. Disponível em: < http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/civitas/article/view/24754>. Acesso em: 14 jun. 2018.

SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE. Ministério da Educação, Cultura e Formação da República Democrática de São Tomé e Príncipe. Lei de Bases do Sistema Educativo. São Tomé: Autor, 2003.

TIMOR-LESTE. Ministério da Educação. Lei de Bases da Educação. Díli: Autor, 2008.

______. Ministério da Educação. Plano Curricular do Ensino Secundário Geral. Díli: Autor, 2011.

ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Artmed, 1998.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Associação Brasileira de Ensino de Ciências Sociais - ABECS

Periodicidade: semestral

ISSN 2594-3707


INDEXAÇÃO

Google Acadêmico

ANPOCS



Idioma: Português

Editor responsável: Cristiano das Neves Bodart

Autor corporativo: Associação Brasileira de Ensino de Ciências Sociais (ABECS)

Endereço: Cpo São Cristóvão, 177, UE São Cristóvão CPII, Sala do Departamento de Sociologia, São Cristóvão, Rio de Janeiro, RJ, CEP 20921-440, Brasil
CNPJ: 19.340.922/0001-76

Site da ABECS: www.abecs.com.br
Facebook da ABECS: https://www.facebook.com/abecsnacional/