Os livros didáticos de Sociologia e os sentidos do ensino de Ciências Sociais na Educação Básica

Valci Melo

Resumo


O presente estudo[1] investiga os sentidos atribuídos ao ensino de Ciências Sociais/Sociologia nos livros didáticos aprovados e recomendados pelo Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) de 2015. Para tal, à luz da Análise do Discurso, em interface com o materialismo histórico-dialético, realiza-se uma análise de corpus discursivo constituído pelos seis livros didáticos do PNLD de 2015. Como resultado, destaca-se que os manuais didáticos atribuem ao ensino de Ciências Sociais/Sociologia um sentido predominantemente formativo, apresentando-o como um conhecimento especializado e indispensável à explicação da vida social nos marcos do questionamento, da desnaturalização e da capacidade de relacionar fenômenos em nível micro e macro. Por fim, conclui-se que, embora as Ciências Sociais/Sociologia sejam convocadas primeiramente a cumprir uma função formativa, de cunho científico e crítico, também repousa sobre os livros didáticos do PNLD 2015 uma expectativa de que a disciplina Sociologia ajude os estudantes a tomarem parte nos movimentos de permanência e/ou transformação do mundo dos homens. Contudo, essa intervenção, ao tomar como horizonte máximo a suposta humanização da ordem social vigente, acaba naturalizando o projeto capitalista de sociedade e silenciando sobre a incompatibilidade entre capitalismo e igualdade social, justiça e democracia substantiva.

The present study investigates the meanings attributed to the teaching of Social Sciences/Sociology in textbooks approved and recommended by the National Textbook Program (PNLD) of 2015. To this end, in the light of Discourse Analysis, in rapport with dialectical historical materialism, is done a discursive analysis of the six textbooks of the PNLD of 2015. As a result, is emphasized that textbooks attribute a predominantly formative sense to the teaching of Social Sciences/Sociology, presenting it as a specialized knowledge and indispensable at explanatory to social life based on questioning, denaturalization and in ability to relate phenomena at the micro and macro levels. Finally, it is concluded that, although the Social Sciences/Sociology it is called first to fulfill a formative function, of character scientific and "critical", also hover about the textbooks of the PNLD 2015 an expectancy that discipline Sociology help the students to take part in the movements of permanence and / or transformation of the world of men. However, this intervention, by taking as a maximum horizon the supposed humanization of the current social order, ends up naturalizing the capitalist project of society and silencing the incompatibility between capitalism and social equality, justice and substantive democracy.


Palavras-chave


Ensino de Sociologia. Livro didático. Sentidos e expectativas. Análise do Discurso.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTHUSSER, Louis. Ideologia e aparelhos ideológicos do Estado. Lisboa: Editorial Presença, 1980.

ARAÚJO, Silvia Maria et al. Sociologia. São Paulo: Scipione, 2013.

BEHRING, Elaine Rosseti; BOSCHETTI, Ivanete. Política social: fundamentos e história. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

BOMENY, Helena et al. Tempos modernos, tempos de Sociologia. 2ª ed. São Paulo:

Editora do Brasil, 2013.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, 23 de dezembro de 1996.

______. Orientações curriculares para o Ensino Médio. Brasília, DF: MEC, 2006.

______. Lei n. 11.648, de 2 de junho de 2008. Inclui a Filosofia e a Sociologia como disciplinas obrigatórias nos currículos do ensino médio. Diário Oficial da União, Brasília, 3 de junho de 2008.

______. Guia de livros didáticos: PNLD 2015. Sociologia: ensino médio. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2014.

______. Censo escolar da Educação Básica 2016: notas estatísticas. Brasília: INEP, 2017.

CAVALCANTE, Maria do Socorro Aguiar de Oliveira. Qualidade e cidadania nas reformas da educação brasileira: o simulacro de um discurso modernizador. Maceió: Edufal, 2007.

DURKHEIM, Émile. As regras do método sociológico. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

JINKINGS, Nise. Ensino de Sociologia: particularidades e desafios contemporâneos. Revista Mediações, Londrina, v. 12, n. 1, p. 113-130, jan.- jul 2007.

LESSA, Sérgio. Mundo dos homens: trabalho e ser social. 3. ed. rev. e corrigida. São Paulo: Instituto Lukács, 2012a.

______. Abaixo a família monogâmica! São Paulo: Instituto Lukács, 2012b

LÖWY, Michael. As aventuras de Karl Marx contra o Barão de Münchhausen: marxismo e positivismo na sociologia do conhecimento. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2000.

MACHADO, Igor José de Renó et al. Sociologia hoje. São Paulo: Ática, 2013.

MARX, Karl. Sobre a questão judaica. São Paulo: Boitempo, 2010a.

______. Glosas críticas marginais ao artigo O rei da Prússia e a reforma social: de um prussiano. São Paulo: Expressão Popular, 2010b.

______.; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. São Paulo: Boitempo, 2007.

______. O manifesto do partido comunista. São Paulo: Boitempo, 1998.

MÉSZÁROS, István. Estrutura social e formas de consciência: a dialética da estrutura e da história. São Paulo: Boitempo, 2011.

MEUCCI, Simone. A institucionalização da sociologia no Brasil: os primeiros manuais e cursos. 2000. [s.n]. Dissertação (Mestrado em Sociologia) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas (SP), 2000.

______. Sobre a rotinização da Sociologia no Brasil: os primeiros manuais didáticos, seus autores, suas expectativas. Mediações, Londrina, v. 12, n. 1, p. 31-66, jan/jun. 2007.

______. Notas para um balanço crítico da produção recente dos livros didáticos de Sociologia no Brasil. OLIVEIRA, Luiz Fernandes de (Org.). Ensino de sociologia: desafios teóricos e pedagógicos para as ciências sociais. Seropédica/Rio de Janeiro: EDUR, 2013.

______. Notas sobre o pensamento social brasileiro nos livros didáticos de Sociologia. Revista Brasileira de Sociologia, v. 02, n. 03, jan./jun. 2014.

______; BODART, Cristiano das Neves. Entrevista com Simone Meucci. Revista Café com Sociologia, vol. 2, n. 1, abr. 2013.

MILLS, Charles Wright. A imaginação sociológica. 6. ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1982.

MUNAKATA, Kazumi. O livro didático: alguns temas de pesquisa.

Rev. bras. hist. educ., Campinas-SP, v. 12, n. 3 (30), p. 179-197, set./dez. 2012

MONTAÑO, Carlos. Terceiro setor e questão social: crítica ao padrão emergente de intervenção social. São Paulo: Cortez, 2002.

OLIVEIRA, Amurabi. Ensino de Sociologia: desafios epistemológicos para o ensino médio. Revista Espaço Acadêmico, Maringá, v. 10, n. 119, p. 115-121, 2011.

OLIVEIRA, Luiz Fernandes de; COSTA, Ricardo Cesar Rocha da Costa. Sociologia para jovens do século XXI. 3. ed. Rio de Janeiro: Imperial Novo Milênio, 2013.

ORLANDI, Eni Pulcinelli. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 2. ed. Campinas: Pontes, 2007.

______. As formas do silêncio: no movimento dos sentidos. 3. ed. Campinas-SP: Pontes Editores, 1995.

PAULO NETTO, José. Posfácio. In: COUTINHO, Carlos Nelson. O estruturalismo e a miséria da razão. 2.ed. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

______. Introdução ao estudo do método de Marx. São Paulo: Expressão Popular, 2011.

______.; BRAZ, Marcelo. Economia política: uma introdução crítica. 7. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

PÊCHEUX, Michel. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. 2. ed. Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1995.

______. O discurso: estrutura ou acontecimento. 4. ed. Campinas, SP: Pontes Editores, 2006.

RABELO, Jackline et. al. Educação para todos e reprodução do capital. Trabalho necessário, Rio de Janeiro, n. 9, ano 7, 2009.

SANTOS, Valci Melo Silva dos. Ensino de Sociologia no Sertão Alagoano: o discurso oficial e a concepção dos professores. 2016. 140 f. Dissertação (Mestrado em Educação) " Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2016.

SILVA, Afrânio et al. Sociologia em movimento. São Paulo: Moderna, 2013.

SILVA SOBRINHO, Helson Flávio da. O sujeito e a processualidade histórico-social. In: ______. Discurso, Velhice e Classes Sociais. Maceió: Edufal, 2007.

TOMAZI, Nelson Dacio. Sociologia para o ensino médio. 3ª ed. São Paulo: Saraiva, 2013.

WEBER, Max. A objetividade do conhecimento na ciência social e na ciência política. In: Metodologia das Ciências Sociais. 4. ed. Campinas: Cortez Editora; Editora da Unicamp, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Associação Brasileira de Ensino de Ciências Sociais - ABECS

Periodicidade: semestral

ISSN 2594-3707


INDEXAÇÃO

Google Acadêmico

ANPOCS



Idioma: Português

Editor responsável: Cristiano das Neves Bodart

Autor corporativo: Associação Brasileira de Ensino de Ciências Sociais (ABECS)

Endereço: Cpo São Cristóvão, 177, UE São Cristóvão CPII, Sala do Departamento de Sociologia, São Cristóvão, Rio de Janeiro, RJ, CEP 20921-440, Brasil
CNPJ: 19.340.922/0001-76

Site da ABECS: www.abecs.com.br
Facebook da ABECS: https://www.facebook.com/abecsnacional/