A trajetória do "Curso de formação política para jovens de escolas do Alto Uruguai Catarinense (AMAUC)”: desafios, avanços e entraves

Eduardo João Moro

Resumo


O “Curso de Formação Política para jovens de escolas do Alto Uruguai Catarinense (AMAUC)” surge em um momento de efervescência dos debates acerca do ensino da política na escola. Por um lado, ganha força a defesa do projeto de lei que propõe a inclusão do Programa Escola Sem Partido entre as diretrizes e bases da educação nacional; por outro, surge a Frente Nacional Escola Sem Mordaça, que critica severamente o que considera uma tentativa de censura aos professores. Paralelamente, tornou-se lugar-comum discutir o desinteresse dos jovens pela política, caracterizado por atitudes de apatia, indiferença, resistência e descrédito em relação à política institucionalizada. Apesar (e por causa) deste cenário que surgiu a proposta do curso, que percorreu escolas dos municípios que compõem o território da AMAUC com o objetivo de fornecer aos discentes um arcabouço teórico sobre política, buscando despertar o interesse pelo tema e promover o exercício da cidadania. Nesse artigo busca-se relatar essa experiência, descrevendo seu planejamento, sua execução e os êxitos e obstáculos encontrados ao longo do processo.

Palavras-chave: Educação. Formação Política. Juventude.

 

 

 

The path of “Political formation course for students from Alto Uruguai Catarinense (AMAUC)”: Challenges, improvements and hindrances

 

The "Political Formation Course for young students from schools from Alto Uruguai Catarinense (AMAUC)" appears in a moment of effervescence about the teaching of politics in the school. On the one hand, the defense of the bill that proposes the inclusion of the Programa Escola Sem Partido (No-Party School Program) among the guidelines and bases of Brazilian education gains strength; on the other hand, the Frente Nacional Escola Sem Mordaça (No Gag School National Front) appears, criticizing severely what it considers to be an attempt to teacher censorship. At the same time, it became commonplace to discuss young people's lack of interest in politics, marked by attitudes of apathy, indifference, resistance and discredit related to institutionalized politics. In spite of (and because of) this scenario that the course proposal has emerged. It has gone through schools of the municipalities that make up the AMAUC territory in order to provide young students a theoretical framework on politics aiming to arouse interest in the subject and to promote the citizenship exercise. In this article we try to describe this experience, describing its planning, its execution and the successes and obstacles encountered throughout the process.


 


Palavras-chave


Jovem; Política; Ideologia política; Formação política.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Congresso. Senado. Projeto de Lei nº 193, de 2016. Inclui entre as diretrizes e bases da educação nacional, de que trata a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, o "Programa Escola sem Partido". Projeto de Lei do Senado Nº 193, de 2016. Brasília. Disponível em: . Acesso em: 26 nov. 2016.

BRASIL. Secretaria de Desenvolvimento Territorial – SDT. TERRITÓRIO DO ALTO URUGUAI CATARINENSE: Plano Territorial de Desenvolvimento Territorial Sustentável - PTDRS. 2010. 67 p. Disponível em: . Acesso em: 11 out. 2017.

BOBBIO, Norberto. Dicionário de política: Vol. 1. 11. ed. Brasília: Editora da UNB, 1998, 1330 p.

BOBBIO, Norberto. Direita e esquerda: razões e significados de uma distinção política. 3. ed. São Paulo: Editora Unesp, 2011. 191 p.

CONCÓRDIA. Instituto Federal Catarinense - Campus Concórdia. Histórico. 2016. Disponível em: . Acesso em: 06 dez. 2017.

COUTO, Marlen. Magno Malta retira de tramitação no Senado projeto do Escola Sem Partido: Proposta seria debatida nesta terça-feira e poderia ser votada na Comissão de Educação, Cultura e Esporte. 2018. Disponível em: . Acesso em: 15 jan. 2018.

ESCOLA SEM MORDAÇA (Brasil). O que é a Frente? 2016. Disponível em: . Acesso em: 26 nov. 2016.

FRIGOTTO, Graudêncio. “Escola sem partido”: imposição da mordaça aos educadores. 2016. Disponível em: . Acesso em: 26 nov. 2016.

FUNDAÇÃO ANTONIO MENEGHETTI (Brasil). Uma nova pedagogia para a sociedade futura: BOLETIM INFORMATIVO - outubro 2014. 2014. Disponível em: . Acesso em: 26 nov. 2016.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (Estado). Edital nº 31, de 10 de novembro de 2006. Dispõe sobre as normas e critérios de seleção de projetos que receberão apoio e incentivo à pesquisa e à extensão do ensino médio, técnico e graduação do Instituto Federal Catarinense - Campus Concórdia. Edital. Concórdia, SC, Disponível em: . Acesso em: 04 out. 2017.

SELL, Carlos Eduardo. Introdução à Sociologia Política: Política e sociedade na modernidade tardia. Petrópolis, RJ: Vozes, 2006.

TAVARES. Rui. Esquerda e Direita: Guia histórico para o século XXI. Rio de Janeiro: Tinta da China Brasil, 2016.

COMO REFERENCIAR ESTE TEXTO

MORO, Eduardo. A trajetória do "curso de formação política para jovens de escolas do Alto Uruguai Catarinense (AMAUC)”: desafios, avanços e entraves. Cadernos da Associação Brasileira de Ensino de Ciências Sociais. v.1, n.2, p.110-123, 2017.

Recebido em: 21 de dez. 2017

Avaliador 1: 24 de dez. 2017

Avaliador 2: 01 de jan. 2018

Aceito em: 19 de jan. 2018


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Associação Brasileira de Ensino de Ciências Sociais - ABECS

Periodicidade: semestral

ISSN 2594-3707

Idioma: Português

Editor responsável: Cristiano das Neves Bodart

Autor corporativo: Associação Brasileira de Ensino de Ciências Sociais (ABECS)

Endereço: Cpo São Cristóvão, 177, UE São Cristóvão CPII, Sala do Departamento de Sociologia, São Cristóvão, Rio de Janeiro, RJ, CEP 20921-440, Brasil
CNPJ: 19.340.922/0001-76

Site da ABECS: www.abecs.com.br
Facebook da ABECS: https://www.facebook.com/abecsnacional/